Ricardo Nunes pedalou em Nova York, quero ver pedalar em SP (Editorial conjunto)

Recentemente, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) pedalou na cidade de Nova York com Aline Cardoso (secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho), acompanhados de alguns outros funcionários da Prefeitura. Tiraram fotos, elogiaram as ciclofaixas, adoraram as bicicletas de aluguel/compartilhadas de lá… Mas e aqui? 

Em agosto de 2021, ciclistas da Câmara Temática de Bicicleta (CTB) convidaram o prefeito e o secretário Ricardo Teixeira, na época recém empossado na Secretaria de Mobilidade e Trânsito (SMT), para pedalarem, mas até agora não obtiveram uma resposta. Já fazem 4 meses que o convite foi feito e até agora o prefeito e o secretário não demonstraram o mínimo interesse em conhecer as necessidades cotidianas dos ciclistas paulistanos. Pior, o prefeito nem sequer apareceu nas reuniões da CTB ou do Conselho Municipal de Trânsito e Transportes (CMTT), conforme determina o regimento de ambos. 

Ao mesmo tempo, a Secretaria de Mobilidade e Trânsito cria obstáculos para candidatos a conselheiros/as da sociedade civil na eleição do CMTT. A Prefeitura exigiu que todos os candidatos sejam filiados a alguma organização ou entidade que tenha registro no CENTS (Cadastro Único das Entidades Parceiras do Terceiro Setor), necessário para quem possui parcerias com a Prefeitura. A exigência é descabida já que o CENTS é requisito para firmar parcerias onerosas ao poder público, ao passo que os conselheiros exercem o cargo de forma voluntária e os conselhos não recebem verba pública. Mais que isso, por que a Prefeitura está exigindo filiação a entidades que sejam parceiras? A exigência da Prefeitura pretende colocar nos conselhos entidades que recebam verbas públicas e, assim, pretende reduzir as críticas da sociedade civil. Isso faria o CMTT se tornar um espaço de cartas marcadas, onde o debate se tornaria praticamente nulo. É, no mínimo, um conflito de interesses colocar pessoas que recebam verba pública na condição de conselheiros (e fiscais) de serviços públicos. Como alguém pode ser crítico às ações da Prefeitura quando é pago pela mesma? 

Os atuais membros do CMTT, CTB, CTMP (Câmara Temática de Mobilidade a Pé), coletivos, entidades e a própria Comissão Eleitoral do CMTT solicitaram que a Prefeitura remova as cláusulas que exigem filiação a uma entidade que possua o CENTS, porém a SMT ignorou essas solicitações e o prazo para candidatos se inscreverem acaba nesta data, 13 de dezembro… E a Prefeitura nem se deu ao trabalho de responder aos e-mails enviados ao longo dos últimos meses.

Ao mesmo tempo, Ricardo Nunes pedalou em Nova York e os ciclistas paulistanos se arriscavam pelas ruas paulistanas, já que em 2021 foi implantada somente uma ciclofaixa: a da Rua Luís Góis. Com cerca de 2 km, mas ainda sem um trecho importante, mesmo esse segmento tendo sido proposto pela CET em 2019. Pior, a SMT diz que não implantou o trecho necessário para “não retirar vagas de estacionamento” (Ofício 085/SMT), contrariando o Plano Cicloviário (Decreto Municipal nº 56.834/2016), o Plano Diretor (Lei Municipal nº 16.050/2014) e o Plano Nacional de Mobilidade Urbana (Lei 12.587/12).

Antes de falecer, o ex-prefeito Bruno Covas prometeu 300 km de novas ciclovias, o que já era pouco pois o Plano Cicloviário previa 673km de novas ciclovias até o final de 2024, além dos 663 km existentes. Ou seja, até o final da gestão Covas-Nunes, São Paulo deveria ter 1304 km de ciclovias e ciclofaixas. Porém, estamos em dezembro de 2021 e temos só 663 km de ciclovias e ciclofaixas, o que é muito pouco quando comparado aos 20 mil km de vias em São Paulo.

Será que isso importa para o prefeito Ricardo Nunes? Ele pedalou em Nova York, mas será que já pedalou em São Paulo? Mesmo o bairro do prefeito possui pouquíssimas ciclovias, assim como a maior parte da Zona Sul não possui infraestrutura cicloviária, e muitas das ciclovias/ciclofaixas que existem ainda não chegam ao Centro da cidade…

Prefeito Ricardo Nunes: aproveite a oportunidade para conhecer a relação da cidade de São Paulo com a bicicleta. Queremos que você seja mais que um turista brasileiro de bicicleta em Nova York e se torne o prefeito que cumpriu integralmente o Plano Cicloviário da Cidade de São Paulo. Faça a diferença e ajude a tornar São Paulo mais segura.

(Equipes Bike Zona Sul: Aline Pellegrini, Kristofer Willy, Lucian De Paula, Marivaldo Lopes, Paulo Alves e Thomas Wang / Colaboraram: Anderson Augusto, Caio Guatelli, Guilherme Moraes, Rafael Calabria, Renata Falzoni, Sasha Hart, Simone Penninck e Vanderlei Torroni)

#BikeZonaSul #BZS #VaiTerCiclovia #CicloviasSalvamVidas #CidadesParaPessoas #SãoPauloPrasPessoas #Bicicleta #Mobilidade #Transporte #Logistica #Lazer #Esporte #Cicloturismo #BikeFazBemAoComércio #Compartilhe #SãoPauloPrasPessoas #CidadesParaPessoas


Siga o Bike Zona Sul nas redes sociais para ficar por dentro das ações e eventos do coletivo:
YouTube: www.youtube.com/bikezonasul
Instagram: www.instagram.com/bikezonasul
Twitter: www.twitter.com/bikezonasul
Strava: www.strava.com/athletes/bikezonasul

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s